Foto: Divulgação/Polícia Civil

O crime aconteceu no começo de novembro. O carro do advogado Leonardo Ivankio Sudul foi encontrado completamente queimado no bairro Uberaba, em Curitiba.

No dia do homicídio, o advogado teria ido ao encontro dos acusados para conversar supostamente sobre um dos processos em que eles réus.

Depois de ser baleado, ainda no local do encontro, no bairro do Parolin, os bandidos colocaram o advogado dentro do próprio veículo. Depois eles foram até o bairro Uberaba onde o carro foi incendiado junto com o corpo.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Cássio Conceição, não há dúvidas de que o advogado foi vítima de uma emboscada.

Imagens de câmeras de segurança mostram que os suspeitos mataram o advogado e voltaram quase uma hora depois para colocar fogo no carro. Os presos foram localizados nesta semana em uma área nobre da capital catarinense Florianópolis.

Todos já tem passagens pela polícia e seriam responsáveis pelo tráfico de drogas no Parolin.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/Sonora-Coletiva-Morte-Advogado-01FB.mp3

Os três suspeitos eram amigos de infância do advogado. Um deles, Kleverson Prestes, disse que Leonardo era padrinho de uma das filhas dele. Também foram presos Nixon Benites e Leandro Lima. Todos negam o crime e se dizem vítimas de uma armação.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/Sonora-Coletiva-Morte-Advogado-02FB.mp3

A OAB – PR acompanhou o andamento das investigações. Segundo Alexandre Salomão, Presidente da Comissão de Defesa De Direitos Humanos da entidade, trata-se de uma situação grave envolvendo pessoas assassinadas em pleno exercício da profissão. Ele quer a identificação do autor dos disparos e pede punições aos envolvidos.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/Sonora-Coletiva-Morte-Advogado-03FB.mp3

As prisões do trio de suspeitos ocorreram com a ajuda da Polícia Civil de Santa Catarina.

Repórter Fábio Buchmann

Click here to view full post