Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil fez a primeira prisão relacionada ao caso do arrastão dentro de um ônibus da Linha Curitiba/Campo Magro, que terminou com a morte de uma passageira. Um suspeito foi preso na última quarta-feira, mas a informação foi revelada apenas nesta quinta.

O delegado Tito Barrichelo, da Delegacia de Almirante Tamandaré, afirmou que o homem preso foi reconhecido por testemunhas.

O caso aconteceu na noite do dia 23 de setembro e resultou na morte de Larissa Morgana Ferreira, de 24 anos. Ela foi baleada durante uma troca de tiros entre um grupo de assaltantes e um policial militar aposentado, que estava no ônibus.

Segundo o delegado, o policial aposentado reagiu ao assalto e tentou impedir a morte de um passageiro que estava com uma camiseta do Bope, grupo da Polícia Militar. Houve confronto dentro do veículo. Um dos criminosos morreu e outros três fugiram do local.

O delegado explica como o suspeito foi identificado.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/10/SONORA-PRISÃO-CAMPO-MAGRO-01-JC.mp3

Um fato importante sobre este crime ainda não foi esclarecido. O delegado disse que, por enquanto, não há como confirmar de onde partiu o tiro que matou a passageira.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/10/SONORA-PRISÃO-CAMPO-MAGRO-02-JC.mp3

O policial militar aposentado, de 50 anos, usava colete à prova de bala, mas foi um dos feridos durante a troca de tiros. Tito Barichello não revelou o que o policial aposentado estava fazendo dentro do ônibus com duas armas e o colete à prova de balas.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/10/SONORA-PRISÃO-CAMPO-MAGRO-03-JC.mp3

Outro suspeito do crime já tem a prisão temporária decretada, de acordo com o delegado, mas ainda não foi localizado. O quarto suspeito do arrastão não teve a identidade confirmada.

Repórter Joyce Carvalho

Click here to view full post