Foto: Francielly Azevedo – CBN Curitiba

Nove homens foram presos durante a operação “Olho de Thundera”, coordenada pela Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba. Os presos são suspeitos de pertencer a uma quadrilha especializada em roubos de relógios de luxo ou de alto valor de mercado. 70 agentes da Polícia Civil do Paraná, além de equipes do GARRA de Sorocaba, em São Paulo, e CORE do Rio de Janeiro, participaram da ação. Um suspeito foi morto durante uma abordagem policial na capital fluminense. Outros três permanecem foragidos. Foram expedidas 46 medidas cautelares pela 7ª Vara CriminaL de Curitiba, dentre elas 12 mandados de prisão, 16 mandados de busca e apreensão, seis mandados de sequestro de veículos e bloqueios judiciais de contas bancárias. O delegado-operacional da DFR de Curitiba, André Gustavo Feltes, explicou que a quadrilha efetuou mais de uma centena de roubos somente no ano passado.

As investigações foram iniciadas em 2016, quando a polícia começou a receber muitos boletins de ocorrência que noticiavam roubos de relógios. Os suspeitos passavam o fim de semana na cidade em que seria efetuado o assalto e viajavam logo depois. Durante as buscas, foram apreendidos vários relógios, dentre eles sete Rolex e um Cartier, que variam de R$ 30 mil a R$ 100 mil cada.

O delegado ressaltou que o descuido das vítimas facilitou a execução do crime.

As buscas culminaram ainda na apreensão de três armas de fogo, duas motos (uma BMW 850GS e uma Yamaha XT600) e dois carros. Nenhum deles era roubado. Os suspeitos presos em São Paulo foram transferidos para Curitiba e devem permanecer no setor de carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos.

Repórter Francielly Azevedo

Clique aqui para ver a publicação completa