Foto: Polícia Civil

O tumulto começou enquanto era ouvido dentro do imóvel o suspeito de ter matado uma menina de seis anos.

Além dos danos no prédio da 7ª subdivisão da cidade, nove veículos foram queimados, entre os quais cinco viaturas, carros de reportagem e até o carro da família da vítima.

O delegado-geral da Polícia Civil, Julio Reis, classificou como vandalismo inaceitável e incompreensível o que aconteceu durante a mobilização de populares, após a prisão do suspeito.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/09/SONORA-Inquérito-danos-deegacia-01-CS.mp3

Reis enalteceu a contenção dos vândalos realizada pelas polícias, o que evitou “uma tragédia” nas palavras dele; mas destacou que a quebradeira não vai ficar impune. 

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/09/SONORA-Inquérito-danos-deegacia-02-CS.mp3

A Polícia Civil disponibilizou um Whatsapp da Agência de Inteligência para o encaminhamento de denúncias, imagens e demais informações.

O número é o 41 99131-1188

Repórter Cristina Seciuk

Foto: Polícia Civil

Click here to view full post