Qual a razão do propósito para as marcas? Antes de influenciar o mundo, comece transformando a vida dos seus colaboradores.

Na nossa visão, a razão de uma marca existir é, acima de tudo, construir valor para as pessoas, para a sociedade e para o meio ambiente. Não tem nada a ver com idealismo ou filosofia pessoal, nem mesmo filantropia. Mas sim, com a legítima razão pela qual uma marca deveria se manifestar no mundo, uma vez que é capaz de impactar todas as dimensões da nossa vida. Sua função é, portanto, criar produtos que humanizem as relações, eduquem comportamentos e tangibilizem o propósito a que ela se propõe.

As marcas são verdadeiros organismos vivos com potencial gigantesco de modelar a forma como vivemos. Capazes de influenciar pessoas e inspirar sonhos. Criar e escalar padrões e conexões, comportamentos e mindsets. Podemos compará-las a profetas ditando para onde o mundo vai.

Mas, para escalar o impacto gerado por uma marca, não basta engajar-se em um propósito legítimo. Ele precisa ser tangível e acessível — principalmente para os seus colaboradores. O modelo de negócio precisa ser inclusivo, da estratégia ao tático, da experiência ao consumo.

E para que se tenha uma cultura consistente e autêntica, o acesso ao propósito deve ser o “plano de carreira” da empresa.

Foi em uma das reuniões que tivemos com o nosso time que surgiu esse importante ponto. Na Urban Farmcy, debatemos com o time a todo momento, em reuniões de diferentes grupos, as soluções e desafios do dia a dia, sempre em busca de desenvolver novas lideranças. Porém, quando perguntamos o quão aderente é o nosso propósito — redefinir o futuro da alimentação — à realidade de cada um, identificamos que para muitos não era alcançável. E a principal razão era a questão financeira. Apesar de serem adeptos do que acreditamos, alguns conceitos como agricultura limpa, alimentação nutritiva e ao mesmo tempo saborosa e cultivo de orgânicos …

Click here to view full post