Conheça a história do empreendedor turco que elevou o reconhecimento de seus funcionários a um padrão inédito. E o melhor: em outubro ele estará em São Paulo para contá-la pessoalmente.

Em meados de maio de 2015, o turco Nedim Nahmias estava uma pilha de nervos. De acordo com rumores do mercado, a companhia em que trabalhava, Yemeksepeti — de delivery online — seria vendida para um grande grupo alemão. E Nahmias tinha motivos para se preocupar, pois já acumulava dez anos de empresa — começara como atendente de call center e chegou a um cargo executivo.

A transação acabou se confirmando. Mas Nahmias e os outros 113 colaboradores da Yemeksepeti nem chegaram perto de prever o que aconteceria a seguir: cada um recebeu em média um bônus de US$ 237 mil (R$ 740 mil)  após a venda. Ao todo, foram distribuídos US$ 27 milhões entre a equipe, e Nahmias foi da insegurança à emoção sincera: “Este bônus transformou a vida de muitos de nós”, afirmou à CNN Money.

E ele sabia do que falava. O bônus foi cerca de 150 vezes o salário médio pago aos profissionais.

O melhor chefe do mundo?

A iniciativa veio de Nevzat Aydin, o CEO da Wemeksepeti. Aliás, uma iniciativa movida pela livre e espontânea vontade de reconhecer o esforço dos funcionários na construção da empresa. De acordo com Aydin, a companhia não tinha nenhuma obrigação contratual que impusesse a recompensa após a aquisição por parte da gigante alemã Delivery Hero. O valor da operação foi de US$ 590 milhões.

Quando questionado sobre os motivos da decisão, Aydin foi enfático: “Se houve sucesso, nós o conquistamos juntos”. E vai além: “A história de sucesso da Yemeksepeti não aconteceu da noite para o dia e muita gente participou dessa jornada com seu trabalho duro e seu talento”, complementa no mesmo artigo da CNN Money.

De fato, a história foi construída aos poucos. Desde 2000, quando Aydin montou a startup com apenas 50 mil euros ao lado de três colegas, levando…

Click here to view full post