Foto: Reprodução / PT

O laudo da perícia feita nos ônibus atacados durante viagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelo Paraná será divulgado na tarde desta segunda-feira (50, pela Central da Polícia Científica do Paraná. O caso aconteceu no último dia 27 de março, enquanto os ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva faziam o trajeto entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no sudoeste do Paraná.

De acordo com o Partido dos Trabalhadores, dois dos veículos foram atingidos por três tiros. Ninguém ficou ferido. Os veículos também tiveram os pneus furados por objetos pontiagudos que foram espalhados na pista.

No momento dos disparos, Lula estava dentro da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFSS), em Laranjeiras do Sul.

O Ministério Público do Paraná recebeu vídeos, várias denúncias e apura o caso. O procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto chegou a dizer que não restava dúvidas de que o episódio configura tentativa de homicídio.

Um dos ônibus atingido pelos disparos levava jornalistas. Lula afirmou, logo após o ocorrido, que foi um ataque à democracia.

Na mesma noite do atentado, o delegado Wikinson Fabiano Oliveira de Arruda, adjunto de Laranjeiras do Sul, e que estava de plantão na ocasião, disse aos jornalistas que não poderia dar uma previsão para a conclusão do laudo pericial, pois o número de peritos na região era pequeno. Ele ressaltou um sucateamento da Polícia Civil e do Instituto de Criminalística. O governador Beto Richa (PSDB) afirmou que o delegado havia mentido sobre os problemas na estrutura para a investigação.

Em defesa do servidor, o presidente do Sindicato das Classes Policiais do Paraná, Marx Rolin e Silva, destacou que ele apenas desabafou sobre a falta de condições de trabalho da polícia…

Clique aqui para ver a publicação completa