Foto: PMPR

O pedido foi despachado pelo juiz substituto Jailton Tontini, da 3ª Vara da Fazenda Púbica de Curitiba, no processo relacionado ao interdito proibitório, valido desde o 08 de abril.

No documento, endereçado ao Comandante da Polícia Militar do Paraná e já recebido, o juiz solicita que PMs façam o reforço de segurança durante o cumprimento do mandado. Em um despacho anterior, o juiz já havia determinado a diligência por parte do oficial de justiça e reforçou que, se necessário, ele seria acompanhado por força policial.

Conforme o juiz, o acordo firmado (apesar de não ter sido homologado) foi juntado aos autos pelo município de Curitiba e prevê que o interdito proibitório prosseguirá em todos os seus termos, inclusive no que diz respeito à multa de R$ 500 mil ao dia, caso o descumprimento seja caracterizado.

Conforme o Acordo Extrajudicial, que passou a valer em 16 de abril, os militantes pró-Lula não podem acampar em via pública, mas foi garantido a eles manter quatro tendas nas imediações da PF para assegurar a estrutura necessária à liberdade de manifestação. As partes concordaram, ainda, que equipamentos de som podem ser utilizados até as 19h30, desde que obedecidos os limites estabelecidos pela lei que dispõe sobre ruídos urbanos e proteção do bem-estar e sossego público.

Essa visita deve resolver a polêmica entre moradores e prefeitura de um lado e os apoiadores do ex-presidente, já que Greca e os vizinhos da PF vem insistindo sobre o desrespeito às regras definidas e os manifestantes garantem que todas as normas são obedecidas pelo grupo.

Repórter Cristina Seciuk

Clique aqui para ver a publicação completa