Adonai Arruda, à esquerda, durante comemorações dos 40 anos do Sindicato no ENEAC (Encontro Nacional das Empresas do Asseio e Conservação), e Ariel Schaeffer da Silva, Superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu Nacional.

A avaliação é do presidente do Sindicato das Empresas do Asseio e Conservação do Paraná, Adonai Arruda. Segundo o empresário, o setor não foi diretamente beneficiado pelas novas legislações, mas as alterações permitiram uma ampliação do mercado, com prestação de um leque mais variado de serviços.

Com a inversão da tendência, que vinha numa descendente por causa da crise, Adonai Arruda afirma que a expectativa é de recuperação e volta aos patamares equivalentes a 2015, antes das perdas mais significativas.

Essa previsão de crescimento dentro de um ano – independentemente do cenário econômico – tem relação com características muito específicas do setor de asseio e conservação ou faciliteis, impulsionado pela tendência de adoção da terceirização.

O Sindicato das Empresas do Asseio e Conservação que representa a categoria no Paraná completa quarenta anos de história em 2018, marco que será comemorado nesta sexta (18) em evento em Foz do Iguaçu.

Clique aqui para ver a publicação completa