Foto: reprodução/Facebook

A direção da Polícia Científica do Paraná informou no começo da tarde desta segunda-feira (11) que é da jovem Andriely Gonçalves da Silva, de 22 anos, o corpo encontrado na Serra da Graciosa na última sexta (08). Ela estava desaparecida há um mês.

Durante o fim de semana uma tia da estudante de direito esteve no Instituto Médico Legal e teria reconhecido as roupas da jovem e uma tatuagem no braço direito. A identificação definitiva do corpo foi feita no IML de Curitiba por meio de exame de reconhecimento da arcada dentária, com base em radiografias entregues pela família.

Ainda durante a tarde, o delegado Reinaldo Zequinão, da delegacia do Alto Maracanã deve conceder entrevista coletiva para dar mais detalhes sobre o laudo. Segundo a Polícia Científica, o documento será juntado ao inquérito policial, que inicialmente tratava do desaparecimento de Andriely, em 09 de maio. Conforme informações já repassadas pela polícia o corpo dela estaria na mata, onde foi encontrado, há pelo menos 20 dias.

Ex-companheiro de Andriely, o policial militar Diogo Coelho Costa é o considerado o principal suspeito pelo desaparecimento da jovem. O PM está preso desde o dia 19 de maio. A prisão é temporária e vence em 19 de junho, mas pode haver pedido pela prorrogação do prazo da ou ainda pela conversão em prisão preventiva.

Repórter Cristina Seciuk

Clique aqui para ver a publicação completa