Foto; Divulgação Conselho da Comunidade

Uma vistoria do Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba a Central de Flagrantes, antigo 1º Distrito Policial, no Centro da cidade, constatou que atualmente 122 presos dividem o espaço que deveria comportar apenas 8 detentos. O número é ainda maior do que a primeira vistoria que aconteceu no dia 22 de janeiro, quando 81 presos estavam no local.

Segundo o Conselho da Comunidade, os detidos estão alojados em duas salas e duas celas improvisadas que deveriam servir para a custódia imediata. Há 49 homens na carceragem, construída para apenas oito, e 71 numa antessala que foi tomada de presos desde a última quinta-feira (1°). Há ainda uma sala com duas mulheres e pedaços de colchões. Os presos da antessala e as presas não têm acesso fácil a um banheiro.

O conselho constatou ainda eles passam o dia com algemas nas pernas. Eles dormem em pedaços de papelão, urinam em galões e não tomam banho há dias.

Os presos da carceragem urinam por um cano, dormem em pedaços de colchões improvisados enquanto outros assistem e tem pouco acesso a ventilação.

De acordo com o último Levantamento de Informações Penitenciárias, do Ministério da Justiça, e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR), o Paraná tem cerca de 10 mil presos cumprindo pena ou reclusão provisória em condições similares a Central de Flagrantes em Curitiba e no interior.

A CBN Curitiba entrou em contato com a Polícia Civil, com a Secretaria de Segurança Pública e com o Departamento Penitenciário, mas foi informada que o Depen faz uma reunião com Comitê de Transferência de Presos (Cotransp) nesta terça-feira (6) para saber a possibilidade da transferência dos detentos da Central de Flagrantes. O número de vagas para transferência ainda não foi definido.

Confira a nota na íntegra:

“A transferência dos presos da Central de Flagrantes é feita periodicamente devido a grande quantidade de prisões. Na segunda-feira (05/…

Click here to view full post