PRF apreende menor transportando mais de 2 mil munições

Foto: PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na madrugada de terça (17), mais de 2 mil munições na BR-369, em Ubiratã, na região noroeste do Estado. Entre as munições, diversas de fuzil e pistolas de calibre restrito. O motorista, um menor de 16 anos foi apreendido em flagrante.

Os policiais tinham a informação de que um Celta preto, ocupado por dois homens, estaria fazendo o serviço de batedor para um Duster branco, que era conduzido por um menor de idade e transportava ilícitos. O Celta foi abordado na Unidade Operacional da PRF em Ubiratã e com ele estavam dois ocupantes, além da quantia de R$ 4.000,00. Perguntados sobre a razão da viagem e dos valores encontrados, os dois não souberam responder. Continuando a vistoria, o telefone de um deles não parava de receber mensagens de um contato. Perguntados, responderam que era esse menor de idade que os estava contatando. Disseram ainda que ele estaria em um hotel dentro de um posto de combustíveis para descansar.

Com essa informação, os agentes se deslocaram em busca do carro e do menor e, em deslocamento pela BR-369, por volta de 1h, eles avistaram o carro, estacionado em uma estrada vicinal, ainda em Ubiratã. Ao abordarem o carro, verificaram que o motorista era um menor de idade, com 16 anos. Perguntada a razão do estacionamento, uma vez que se trata de um local ermo, ele não souber responder.

Em razão disso, os policiais iniciaram uma busca minuciosa no carro e encontraram 2.436 munições de diversos calibres, sendo 885 munições de calibre .40; 250 de calibre .45; 600 de fuzil 3,65; 401 de calibre .380 e 300 de calibre 9mm. Ainda, foi encontrado com o motorista a quantia de R$ 1.409,00.

Os três (o menor e os dois adultos), os dois carros, os valores em dinheiro e as munições foram encaminhadas para a Polícia Civil de Ubiratã para o registro dos crimes de posse ilegal de munição de calibres restritos e permitidos.

Clique aqui para ver a publicação completa

Como cadastrar minha empresa no Google meu negócio?

Como cadastrar minha empresa no Google meu negócio?

Enquanto você lê essa frase, mais de 2,3 milhões de pesquisas estão sendo realizadas no Google ao redor do mundo. Pessoas estão procurando desde “vídeos de vulcões em erupção” até “qual é o melhor restaurante de comida chinesa em Curitiba?” Com a imersão da nossa sociedade na tecnologia, “dar um google” se tornou expressão recorrente do dia a dia de qualquer um que tenha acesso à internet.

Sendo assim, o buscador também virou sinônimo de credibilidade. Hoje, são desenvolvidas até mesmo estratégias que propõem-se a otimizar um site, buscando elevá-lo às cobiçadas primeiras posições do grande oráculo da Era da Tecnologia – o chamado SEO ou Search Engine Optimization. Isso acontece porque, segundo o próprio Google, “as empresas validadas têm o dobro da probabilidade de serem consideradas respeitáveis pelos utilizadores”. E hoje em dia, quem não é “utilizador” da ferramenta, não é mesmo?

Para os empreendedores, ter a sua empresa nas primeiras posições das buscas do Google pode ser decisivo para o aumento das vendas. Por exemplo, imagine que você está em um bairro desconhecido e deseja pedir uma pizza. Você pega seu smartphone e digita: “pizza no Bacacheri”. Provavelmente, você vai comprar das pizzarias que ocuparem o topo da página.

Pensando nisso, surge o Google Meu Negócio. Uma ferramenta gratuita para destacar as empresas nas procuras. Acompanhe nosso tutorial e cadastre agora mesmo o seu negócio!

1- Como configurar o Google Meu Negócio?

Acesse o seguinte endereço, clicando aqui, e clique sobre “comece agora” no canto superior direito ou do lado esquerdo da página.

2- Configuração inicial

Na página seguinte, preencha o formulário com o nome da empresa. Depois, será solicitado o país, endereço e código postal. A caixa ao final do formulário diz respeito a se você atende os clientes onde estiverem, ou se somente no endereço físico da sua empresa.

 

3- Colocando sua empresa no Google Maps

Marque corretamente sobre o endereço da sua empresa.

 

4- Como sua empr…

Clique aqui para ver a publicação completa

Cesta básica de Curitiba tem a terceira maior alta do país

Foto: CMC

Curitiba foi a capital brasileira que apresentou a terceira maior alta dos produtos que compõem a cesta básica no mês de junho, com aumento de 3,84%, ficando atrás apenas de Cuiabá (7,54%) e Recife (5,82%). Os dados são da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA) divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

No mês de maio, a cesta básica custava R$ 397,17 na capital paranaense. Em junho, o valor passou para R$ 412,44.

Para o economista Daniel Poit a alta é reflexo da greve dos caminhoneiros.

Mesmo com o maior aumento, Curitiba não é a capital que tem a cesta mais cara do país. Os preços mais elevados são registrados em Porto Alegre, onde o conjunto de alimentos custa R$ 452,81, seguida por São Paulo e Rio de Janeiro. Os menores valores são encontrados em Salvador (R$ 333) e Aracaju (R$ 349, 55).

O economista acredita que a comodidade do curitibano, em não reclamar, contribui para que os preços continuem crescendo.

Segundo o DIEESE, entre maio e junho de 2018, houve aumento nos preços do leite integral, carne bovina de primeira, feijão, farinha de trigo, óleo de soja e açúcar.

Em Curitiba, o leite integral subiu mais de 18% e o preço do feijão preto apresentou elevação de 3,11%. Já a farinha de trigo, no acumulado dos últimos 12 meses, teve aumento de 6,45%. No mesmo período, o óleo de soja subiu 2,37%.

Daniel Poit orienta que o consumidor pesquise antes de comprar e pense na substituição de alguns produtos.

Mas, de acordo com o economista, não é preciso se desesperar, pois a tendência é que haja uma redução nos próximos meses.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/07/SONORA-AUMENTO-CE…

Clique aqui para ver a publicação completa

Cesta básica de Curitiba tem a terceira maior alta do país

Foto: CMC

Curitiba foi a capital brasileira que apresentou a terceira maior alta dos produtos que compõem a cesta básica no mês de junho, com aumento de 3,84%, ficando atrás apenas de Cuiabá (7,54%) e Recife (5,82%). Os dados são da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA) divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

No mês de maio, a cesta básica custava R$ 397,17 na capital paranaense. Em junho, o valor passou para R$ 412,44.

Para o economista Daniel Poit a alta é reflexo da greve dos caminhoneiros.

Mesmo com o maior aumento, Curitiba não é a capital que tem a cesta mais cara do país. Os preços mais elevados são registrados em Porto Alegre, onde o conjunto de alimentos custa R$ 452,81, seguida por São Paulo e Rio de Janeiro. Os menores valores são encontrados em Salvador (R$ 333) e Aracaju (R$ 349, 55).

O economista acredita que a comodidade do curitibano, em não reclamar, contribui para que os preços continuem crescendo.

Segundo o DIEESE, entre maio e junho de 2018, houve aumento nos preços do leite integral, carne bovina de primeira, feijão, farinha de trigo, óleo de soja e açúcar.

Em Curitiba, o leite integral subiu mais de 18% e o preço do feijão preto apresentou elevação de 3,11%. Já a farinha de trigo, no acumulado dos últimos 12 meses, teve aumento de 6,45%. No mesmo período, o óleo de soja subiu 2,37%.

Daniel Poit orienta que o consumidor pesquise antes de comprar e pense na substituição de alguns produtos.

Mas, de acordo com o economista, não é preciso se desesperar, pois a tendência é que haja uma redução nos próximos meses.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/07/SONORA-AUMENTO-CE…

Clique aqui para ver a publicação completa

Bando suspeito de roubos a residências é preso no Sítio Cercado

Foto: Divulgação Polícia Civil

Um bando suspeito de praticar roubos a residências foi detido após manter um casal refém no Sítio Cercado. De acordo com a polícia, casos semelhantes são investigados e os presos teriam ligação com outros crimes.

Equipes policiais capturaram os quatro suspeitos após a Delegacia de Furtos e Roubos receber informações sobre movimentação suspeita em uma casa do bairro. De acordo com o delegado-adjunto da especializada, Emmanoel David, a ação foi percebida por testemunhas, que avisaram a polícia.

A partir do acompanhamento tático realizado, observou-se que o carro roubado se encontrou com outro veículo que dava cobertura à fuga. Os suspeitos, então, entraram em outro imóvel, onde foram abordados pela polícia.

Após a prisão dos envolvidos, as equipes policiais voltaram até a casa das vítimas. O casal, que havia sido amarrado com lençóis e cabos de energia, já havia conseguido se livrar e relatou a ação dos criminosos, bastante violenta.

De acordo com o delegado Emmanoel David, os quatro presos têm outras passagens por crimes similares; alguns deles inclusive agindo como falsos policiais para praticar roubo a residências.

As prisões foram feitas na madrugada de terça (26) para a quarta-feira (27) desta semana. Conforme informações da Delegacia de Furtos e Roubos, casos semelhantes estão sob investigação.

Repórter Cristina Seciuk

Clique aqui para ver a publicação completa

Operação na fronteira resulta em 83 prisões e quase três toneladas de drogas apreendidas

Foto: Vanessa Fernandes

A Secretaria da Segurança Pública do Paraná, junto com representantes das forças de segurança municipais e federais, divulgaram nesta sexta-feira (29) o balanço final da Operação Esforço Integrado que aconteceu no Paraná e em outros 10 estados.

O objetivo da ação policial foi reforçar a segurança em toda a área de fronteira combatendo a entrada e saída de drogas ilícitas, armas e diversos outros produtos ilegais.

Na ação, mas de 1,1 mil agentes de segurança, abordaram mais de 24,6 mil pessoas, vistoriaram 14.355 veículos bem como 30 estabelecimentos comerciais.

O trabalho resultou na apreensão de 130 veículos, dois ônibus, oito embarcações e 17 carros foram recuperados pela polícia. Doze armas de fogo foram apreendidas, assim como 107 simulacros e 69 munições de diferentes calibres. Os policiais ainda encontraram 530 caixas de cigarro contrabandeados além de outras mercadorias ilegais. 83 pessoas foram presas e oito adolescentes apreendidos. Os policiais apreenderam também quase 3 toneladas de drogas entre maconha, cocaína, haxixe e crack.

Segundo o Coronel Antonio Zanatta Neto, chefe do Estado Maior da Polícia Militar, com ações integradas como esta é possível reorganizar o trabalho das forças de segurança e se antecipar as ações de criminalidade.

Durante a apresentação dos resultados da 1ª fase da Operação Esforço Integrado, todos os integrantes das forças de segurança reiteraram que outras ações como esta serão desenvolvidas no Paraná pelo serviço de inteligência da Secretaria de Segurança Pública junto às forças federais do Ministério da Segurança Pública.

— Repórter Vanessa Fernandes

Clique aqui para ver a publicação completa

Customer Success x Suporte ao cliente: entenda as diferenças

Customer Success x Suporte ao cliente: entenda as diferenças

As estratégias para atender às novas necessidades dos clientes tem sido uma prática recorrente em muitas empresas. Percebemos que a demanda de mercado é garantir uma boa experiência do usuário e atendê-lo de forma prática e eficiente.

“Segundo uma pesquisa realizada pela Bain & Co, um cliente tem quatro vezes mais chances desistir de um produto caso encontre problemas no atendimento“. 😱

Por este motivo, as empresas estão segmentando a área de atendimento em Suporte ao cliente e Customer Success (CS). Mas, além disso, é de extrema importância saber diferenciá-los, compreender sua importância e identificar a necessidade do cliente.

Quer saber como? Leia a seguir e entenda as diferenças de Suporte e Customer Success.

Principais diferenças do Suporte ao cliente e Customer Success

A grande diferença entre o Suporte ao Cliente e Customer Success é o objetivo da comunicação com o cliente.

O suporte utiliza uma comunicação mais direta e soluciona àquelas dúvidas e solicitações mais técnicas. Podendo ser antes ou durante a jornada de compra. Por isso, a resposta ao cliente deve ser ágil e a curto prazo. Informações sobre a empresa, alterações de site ou dúvidas sobre uma ferramenta ou um sistema, são funções dessa área.

O Customer Success vai trabalhar com base no relacionamento com o cliente. Por isso, sua comunicação é mais analítica, voltada a mostrar resultados e soluções de longo prazo. O CS usa recursos para transformar a jornada do cliente em uma experiência eficiente, duradoura e satisfatória.

Podemos ver que as duas áreas têm objetivos contrários, mas se complementam. Mesmo que estejam dentro do sistema de atendimento, ambas são devem ser segmentadas dentro de uma organização devido suas diferenças. Veja!

O que é Suporte ao cliente?

O Suporte ao cliente ou atendimento ao cliente é o principal acesso do cliente à uma empresa para solicitar serviços. Ou, como diz o sócio da Mercado Binário, Raphael Lacerda, o famoso ato de “resolver pepinos”. Calma, vou explicar!…

Clique aqui para ver a publicação completa

Militantes pró-Lula relatam novo ataque a tiro no Santa Cândida

Militantes pró-Lula relatam novo ataque a tiro no Santa Cândida

Foto: William Bittar

Militantes pró-Lula que permanecem na região do bairro Santa Cândida relataram mais um atentado contra os manifestantes na manhã desta terça-feira (26). O local que serve de dormitório para o movimento de apoiadores do ex-presidente, na rua Padre João Wislinski, foi alto de tiros, por volta de 10h30.

Os manifestantes acionaram a PM que fez boletim de ocorrência, a ser repassado para a polícia civil, possivelmente ao 4º Distrito Policial.

Segundo a coordenadora do Acampamento Marisa Letícia, Edna Dantas, a situação começou com um desentendimento quando um pequeno grupo voltava de um ato na vigília, nas proximidades da sede da superintendência Polícia Federal. Ela afirma que um motorista ameaçou por diversas vezes jogar o carro sobre os manifestantes.

Edna relata que o mesmo motorista voltou poucos minutos depois, já armado.

De acordo com a Polícia Militar, quatro viaturas foram até o local para fazer o atendimento da ocorrência. A informação repassada por quem estava no local é de que agressor chegou de carro, atirou uma vez para cima e fugiu. Apesar disso, não haveria indícios visíveis do disparo segundo a PM. Os integrantes do acampamento repassaram à polícia imagens do carro, um Gol de cor clara, e também da placa do veículo.

Em nota, a Vigília Lula Livre repudiou mais esse atentado contra os integrantes do acampamento Marisa Letícia. No texto, os organizadores cobram a apuração por parte das autoridades e responsabilização dos culpados e ainda lembrar o outro caso de ataque, registrado no dia 28 de abril, quando um militante foi baleado no pescoço.

Sobre esse primeiro caso, a reportagem da rádio CBN Curitiba entrou em contato com a Polícia Civil para saber sobre os resultados da investigação. Confira a nota na íntegra:

“A P…

Clique aqui para ver a publicação completa

E-mail Marketing funciona mesmo? 4 motivos para acreditar!

E-mail Marketing funciona mesmo? 4 motivos para acreditar!

O e-mail marketing ainda vive, acredite! Segundo dados da empresa americana de ferramentas em e-mail marketing, a Mailigen, eles entregam 18 vezes mais conversão do que os demais canais.

Muito se falou do fim desse tipo de comunicação devido a quantidade de e-mails com informações intrusivas e spam. Porém, graças a evolução das ferramentas que visam a otimização dos canais de mídia online, como a automação de e-mail marketing, ele se tornou uma boa opção para captação de leads.

Com isso, podemos confirmar com todas as nossas forças e, claro, com mais alguns dados estatísticos, que o e-mail marketing tem resultado e gera muito retorno positivo. Veja os motivos:

1 – Crescimento dos usuários na internet

Os brasileiros estão cada vez mais na internet, principalmente nos smarthphones. O estudo realizado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgada pelo IBGE em 2016, relevou que já existem 100 milhões de pessoas conectadas à internet no Brasil.

Esse dado é totalmente relevante se formos analisar os benefícios que o e-mail marketing traz para as empresas. Estima-se que 91% dos consumidores checam seus e-mails ao menos uma vez por dia. Diante disso, encontramos a necessidade de saber adequar o e-mail, a mensagem e a pessoa certa a quem enviamos.

Outro fato curioso é que com o uso dos smarthphones cada vez mais alto, propicia que os usuários busquem mais aplicativos, lojas e redes sociais devido a agilidade e praticidade do aparelho. Por isso, o e-mail pode atrair 40 vezes mais leads do que o Facebook ou Twitter, devido a informação ser acessada diretamente pelo consumidor.

2 – Aumento de compras através da internet

Como comentamos acima, os usuários buscam cada vez mais produtos e serviços pela internet. De acordo com a pesquisa da Total Retail em 2016, o número de brasileiros que compram online mensalmente superou o dos que consomem em lojas físicas. No total dos 22 mil entrevistados, 38,02% têm o hábito de fazer compras online contra 30,9% que d…

Clique aqui para ver a publicação completa

Não basta definir, tem que acompanhar: aplicando métricas no dia a dia para crescer melhor

Não basta definir, tem que acompanhar: aplicando métricas no dia a dia para crescer melhor

Em mentoria coletiva no Programa Radar Santander, Flávio Boan, da Falconi, e Douglas Baleno, da Resultados Digitais, explicam como o empreendedor deve usar as metas como norte para alcançar os objetivos de negócio.

Definir metas que combinem a estratégia de longo prazo com a execução do dia a dia é um dos principais desafios dos empreendedores. Essa é uma decisão que desperta inúmeras dúvidas: como escolher e focar no indicador certo? Como definir um indicador desafiador, mas não impossível? Qual é o papel do líder nesse processo? Como realizar uma gestão de resultados eficaz?

Recentemente, o mentor da Endeavor e Sócio-Diretor da Falconi Flávio Boan juntou-se a Douglas Balena, Diretor de Operações da Resultados Digitais, para trazer respostas a essas perguntas. Os dois participaram de uma mentoria coletiva do Radar Santander, programa do Santander em parceria com a Endeavor, criado para acelerar empreendedores de alto crescimento no país.

Quem mira em vários alvos, não acerta em nenhum

Começando pela definição de indicadores, Flávio Boan é enfático em relação à priorização: “se temos muitos alvos, não atingimos nenhum”. De acordo com ele, o melhor, em um primeiro momento, é estabelecer uma métrica financeira, capaz de sinalizar a motivação de colaboradores e a satisfação de clientes, acionistas e de outros stakeholders de uma empresa.

“Um bom começo é destacar uma métrica financeira que a empresa está gerando no mercado para o time”, afirma Flávio. Lucro líquido, valuation, giro de caixa ou qualquer métrica que adicione valor ao capital que foi investido e aos recursos que entram e saem da empresa todos os dias. Uma métrica financeira é importante para sabemos qual o estado de saúde da companhia.

Mas esse é apenas o ponto de partida, lembra Flávio. A partir daí, o papel do líder é determinante. “Na Falconi, aprendemos ao longo do tempo que, para gerar uma métrica de valor agregado cada vez melhor, prec…

Clique aqui para ver a publicação completa