Adolescente suspeito de matar jovem em assalto é detido em Colombo

Adolescente suspeito de matar jovem em assalto é detido em Colombo

Apesar de ter confessado o crime, a Justiça do município decidiu que o jovem não deveria permanecer detido. O adolescente deixou a delegacia na manhã de hoje (17) e vai responder em liberdade. O comparsa dele, de 19 anos, que golpeou a vítima na nuca, segue foragido.

O caso ganhou destaque depois que o corpo da vítima foi velado pela família na rua por quase 14 horas, tempo que o Instituto Médico Legal demorou para recolher o corpo.

De acordo com o delegado Irineu Portes, da Delegacia Central de Colombo, o adolescente não mora na cidade e iria dividir o dinheiro da venda de celulares roubados com o outro suspeito.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-ADOLESCENTE-DETIDO-01-LP.mp3

Quando os dois envolvidos na morte de Carlos Ramon saíram de casa, no dia do crime, um escondeu uma faca embaixo da blusa e o outro tinha uma pistola de brinquedo. Eles viram três pessoas na rodovia e passaram a perseguir essas pessoas porque estavam falando ao celular.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-ADOLESCENTE-DETIDO-02-LP.mp3

A suspeita inicial era de que a vítima tivesse sido assassinado a tiros. Só após a perícia é que foi confirmado que foi um golpe de faca na nuca. O delegado Irineu Portes afirmou que os dois envolvidos na morte do jovem tinham passagens pela polícia e que não restam dúvidas de que os dois foram os autores do crime.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-ADOLESCENTE-DETIDO-03-LP.mp3

Qualquer informação sobre o paradeiro do outro suspeito, de 19 anos, deve ser repassada à Delegacia de Polícia Civil de Colombo ou por meio do 190. O adolescente em liberdade vai responder por roubo seguido de morte e, se condenado, pode ficar internado por até 3 anos, prazo máximo para delitos graves, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente. Já o foragido pode responder por uma pena que varia de 20 a 30 anos de prisão.

Repórter Lucian Pichetti

Click here to view full post

Quase 95% dos presos do semiaberto retornaram após as saídas de fim de ano

Quase 95% dos presos do semiaberto retornaram após as saídas de fim de ano

Foto: Divulgação/DPPR

Um balanço do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) mostra que quase 95% dos presos que cumprem pena em regime semiaberto retornaram ao sistema prisional após a liberação para as festividades de fim de ano. Eles cumpriram os prazos determinados previamente para a reapresentação.

Segundo o levantamento, divulgado na quinta-feira, 67 dos 1.540 apenados neste tipo de regime não retornaram às unidades prisionais. Isto representa um índice de evasão de 4,35%. O diretor-adjunto do Depen, Cezinando Vieira Paredes, explica que a proporção foi menor daquela registrada no mesmo período do ano passado.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-EVASÃO-SEMIABERTO-01-JC.mp3

Os presos que não se apresentaram nas unidades penais depois das festividades de fim de ano são considerados foragidos, de acordo com Cezinando Paredes.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-EVASÃO-SEMIABERTO-02-JC.mp3

As razões para os presos não retornarem ao sistema prisional são bastante variadas. Elas passam por motivos de saúde, por exemplo. Mesmo assim, devem ser justificadas. O diretor-adjunto do Depen explica que podem ocorrer punições pela demora na reapresentação.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-EVASÃO-SEMIABERTO-03-JC.mp3

Apesar da evasão registrada, Cezinando Paredes considera a saída temporária como uma medida eficaz para aqueles que estão no regime semiaberto.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-EVASÃO-SEMIABERTO-04-JC.mp3

O Depen ainda esclarece que o benefício da saída temporária também visa a atribuição de mecanismos de recompensas e de aferição do senso de responsabilidade e disciplina de quem cumpre a pena no regime semiaberto.

Repórter Joyce Carvalho

Click here to view full post

Bandidos fazem ‘bloqueio’ e assaltam agência bancária em Piraí do Sul

Bandidos fazem ‘bloqueio’ e assaltam agência bancária em Piraí do Sul

Foto: Reprodução Street View

Oito bandidos explodiram uma agência bancária em Piraí do Sul, nos Campos Gerais, nesta quarta-feira (10). Os assaltantes fizeram um cerco na entrada e na saída da cidade para impedir a ação dos policiais.

Ao todo, foram três explosões. Todas aconteceram por volta das 4h30 da manhã e a ação dos bandidos durou aproximadamente cinco minutos. O objetivo não era apenas os caixas eletrônicos, mas sim, o cofre do banco que fica no Centro da cidade.

Segundo o delegado da Polícia Civil da cidade, Durval Ataíde Filho, o grupo criminoso se preparou para o crime. Enquanto uma parte da quadrilha explodia o banco, outra impediu a ação da Polícia Militar.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-ASSALTO-AGÊNCIA-1.mp3

Ainda de acordo com o delegado, durante a fuga, os suspeitos espalharam miguelitos, pregos utilizados para estourar o pneu das viaturas policiais. Eles fugiram em dois veículos.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-ASSALTO-AGÊNCIA-2.mp3

O Instituto de Criminalística de Ponta Grossa foi acionado para periciar o local. O delegado ainda alertou que a região é alvo frequente das quadrilhas que assaltam agências bancárias.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-ASSALTO-AGÊNCIA-3.mp3

A agência bancária foi isolada e o valor levado pelos assaltantes ainda não foi informado. Até o momento, nenhum suspeito foi localizado.

Assalto com reféns

O assalto a Piraí do Sul não foi o único nesta quarta. Em Guaraqueçaba, no litoral do Estado, três ladrões armados fizeram cinco pessoas reféns e explodiram dois caixas eletrônicos de uma agência bancária.

Segundo a Polícia Militar de Guaraqueçaba, os criminosos usaram os moradores como ‘escudo’ para conseguir evitar a ação policial. Eles fugiram em dois veículos e houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido.

Cerca de 20 quilômetros do local do roubo, um carro utilizado pelos bandidos foi incendiado. A quantia l…

Click here to view full post

Jovem que denunciou estupro em universidade pode responder por falsa comunicação de crime

Jovem que denunciou estupro em universidade pode responder por falsa comunicação de crime

Foto: Delegacia da Mulher

A polícia civil concluiu o inquérito sobre a denúncia de estupro feita por uma aluna da Universidade Positivo, no ano passado. Conforme a conclusão das equipes da Delegacia da Mulher, a jovem inventou a história.

A aluna foi à polícia em maio de 2017 e afirmou ter sido vítima de violência sexual dentro do campus da instituição.

Conforme a delegada Eliete Kovalhuk, responsável pelo caso, a estudante caiu em contradição diversas vezes nos momentos em que prestou depoimento, mas que o principal ponto que deixou clara a falsa comunicação de crime foi descoberto com a perícia no telefone da jovem

A versão inicial dada por ela foi de que havia recebido uma mensagem de texto chamando-a para uma aula em um auditório da Universidade e que foi atacada a caminho do local. Entretanto, as investigações comprovaram que esse SMS nunca existiu.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Falso-estupro-Positivo-01-CS.mp3

Segundo a delegada, o inquérito aponta a falsa comunicação de crime. 

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Falso-estupro-Positivo-02-CS.mp3

Ainda sobre o caso, a delegada deu detalhes sobre o que teria motivado a jovem.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Falso-estupro-Positivo-03-CS.mp3

Ainda no ano passado, após a informação sobre o suposto estupro – que agora se sabe, não aconteceu – alunos da Universidade chegaram a fazer manifestações dentro do campus cobrando mais segurança, mas à época a instituição não se manifestou.

Procurada agora a Universidade Positivo divulgou nota. O texto afirma que “Diante do relatório final do inquérito divulgado pela Polícia Civil por meio da Delegacia da Mulher, que concluiu pela inexistência de crime em suas dependências, a Universidade Positivo (UP) demonstra sua satisfação por ter sido esclarecido o fato denunciado – confessadamente inverídico – e agradece o minucioso trabalho policial realizado, com o qua…

Click here to view full post

À vista ou parcelado? Economista orienta sobre pagamento de IPTU e IPVA

À vista ou parcelado? Economista orienta sobre pagamento de IPTU e IPVA

Foto: Valdecir Galor / SMCS

Começo de ano é época de pensar nos gastos inevitáveis como os impostos devidos; e os principais deles logo, logo, vão entrar na lista de afazeres do contribuinte. O IPVA começa a vencer na semana que vem; e os carnês do IPTU já foram remetidos e chegam às caixas de correio nos próximos dias.

Os dois tem desconto no pagamento à vista: de 3% para o IPVA e 4% para o IPTU. Mas vale a pena se livrar de vez dessa dívida? Ou a melhor opção é o parcelamento?

O economista Emerson Fabris, especialista em gestão familiar, diz que essa resposta depende. Leve em conta o imposto, o seu perfil financeiro e também as possibilidades de pagamento.

Vamos lá: primeiro para os donos de carro. Tem todo o dinheiro na mão e nenhum outro plano para usá-lo? Opte por quitar integralmente o IPVA.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Orienta-impostos-02-CS.mp3

Ainda assim, o parcelamento pode cair melhor em outros casos, diz o economista.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Orienta-impostos-01-CS.mp3

Não tem todo o dinheiro agora? Não tem problema, mas a sugestão de Emerson Fabris nessa situação é por se planejar direitinho com as parcelas.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Orienta-impostos-03-CS.mp3

Já quando o assunto é IPTU, Emerson Fabris destaca que o parcelamento mais longo, em até dez vezes, pode ser bem interessante. Para ter certeza, coloque na ponta do lápis o que poderia ser feito com o dinheiro ou o retorno que ele daria em outras condições.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2018/01/SONORA-Orienta-impostos-04-CS.mp3

Em resumo: para o IPVA, o pagamento à vista pode ser mais vantajoso, na avaliação do economista, pois uma aplicação dificilmente alcançaria um rendimento de 3% em tão pouco tempo, ou seja, nesse caso o desconto compensa.

Já para o IPTU, o parcelamento em mais vezes se torna interessante para o contribuinte, já que há mais tempo p…

Click here to view full post

Receita previsível: o que aprendemos sobre máquina de vendas com o Salesforce

Receita previsível: o que aprendemos sobre máquina de vendas com o Salesforce

Conheça a máquina de vendas que levou a Salesforce a gerar mais US$100 milhões em receita anual recorrente.

Todo mundo que já leu meus textos ou conhece um pouco do meu trabalho sabe o quanto sou fã do Aaron Ross. O cara é é uma lenda das vendas. Encontrei com ele em uma edição do RD Summit e contei um pouco sobre o assunto aqui.

Hoje, trouxe um pouco dos fundamentos da maior obra do autor: Predictable Revenue. É com certeza uma das mais influentes no mundo das startups e todos nós temos muito o que aprender com o cara que transformou a Salesforce, maior empresa de CRM do mundo, no que a gente conhece hoje — uma máquina de hipercrescimento no segmento de tecnologia e SaaS (software como serviço).

O livro dá exemplos de prospecção, geração de leads e melhores práticas de vendas para a nova economia, tudo isso baseando-se nas experiências que levaram a Salesforce a bilhões de dólares em receitas recorrentes. Pronto para saber mais e acelerar as vendas?

O mito das vendas B2B

O maior problema para vender para outras empresas não é o tamanho do seu time de vendas. Aaron desbanca o mito de que basta aumentar a equipe e contratar mais vendedores para crescer. Na verdade, o que tem que crescer é o volume de leads prontos para comprar.

Claro, é preciso atender a demanda. Mas contratar mais gente não significa que mais pessoas estarão interessadas no seu produto automaticamente.

Para mudar esse paradigma, ele desenvolveu o método que ele chamou de cold calling 2.0, e é nisso que o livro foca: As técnicas desenvolvidas e adotadas por ele na Salesforce, mudando processos de venda outbound tradicionais.

O experimento que mudou a Salesforce

Quando a empresa começou, todos os vendedores faziam o processo comercial por completo. Aaron então surgiu com a hipótese de que se eles se especializassem, as vendas poderiam aumentar.

Para comprovar isso antes de fazer qualquer mudança estrutural, ele começou a aplicar a ideia…

Click here to view full post

Máquina do tempo: para onde viajam os maiores empreendedores do Brasil?

De São Francisco a São Luís, de Berlim a Beer’Sheba: cada viagem é uma experiência temporal.

A ideia de viajar no tempo sempre me fascinou, desde pequeno. Talvez ter assistido à trilogia “De volta para o Futuro” tenha incendiado a minha imaginação. Ou talvez tenha sido a vontade de conhecer outras realidades diferentes daquela que já estamos mergulhados.

Foi em uma das minhas viagens mais recentes que me dei conta: a máquina do tempo já existe! Está ao alcance de todos nós, basta sabermos escolher bem o destino. A essa máquina damos o nome de “avião”, mas não se engane. Muito mais do que cruzar oceanos e dar voltas ao mundo, ela nos leva também a viajar pelo tempo.

Cidades como San Francisco, Amsterdã, Tóquio e Tel Aviv são o exemplo de como a tecnologia, as liberdades individuais e a formação e distribuição de riqueza, entre outros aspectos, vão moldar o futuro que todos nós desejamos.

Visitar o Estado de Israel hoje, por exemplo, é como conhecer o Brasil de 2037. Se fizermos bem a nossa lição de casa, o futuro está bem ali diante de nós: um futuro em que o espírito empreendedor é ensinado em casa, o fracasso é visto como parte da jornada e o sonho das pessoas é resolver grandes problemas da humanidade.

A receita para chegar lá, Israel já provou que existe. Cabe a nós visitar esse futuro e aprender com as mentes que ali estão. Mentes brilhantes como a de Shai Agassi, que ficou conhecido pela criação da Better Place, uma startup israelense de carros elétricos que se propôs a resolver o problema da dependência do petróleo para o transporte.

O que torna Shai Agassi um empreendedor serial e resiliente é sua busca incessante por resolver grandes problemas — com uma capacidade única de quebrá-los em problemas menores para resolver em um horizonte de tempo maior.

Uma prática comum dele, por exemplo, é entrar em contato com as pessoas que fazem apresentações de TED que ele considera inovadoras para conversa…

Click here to view full post

PRF orienta passageiros e motoristas sobre uso do cinto e da cadeirinha

PRF orienta passageiros e motoristas sobre uso do cinto e da cadeirinha

Foto: PRF

Os policiais rodoviários federais aproveitaram o movimento de embarque para o feriado e orientaram passageiros de ônibus sobre a necessidade de usar o cinto de segurança. A ação ocorreu no setor estadual da rodoferroviária de Curitiba.

O cinto de segurança é item obrigatório em viagens de ônibus, mas muita gente prefere viajar sem. Uns dizem que incomoda, outros acreditam que não serve para nada. Pelo contrário. Em caso de acidente, o cinto evita que o passageiro seja arremessado contra partes internas do ônibus, contra outros passageiros ou mesmo para fora do veículo, como explica a policial rodoviária federal Mariseli Linkes Schinemann.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-ABORDAGENS-PRF-01-LP.mp3

Desde 2005, uma resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) obriga que, antes de cada viagem, os motoristas de linhas interestaduais e internacionais informem os passageiros sobre a obrigatoriedade do uso do cinto. O passageiro José Rodrigues diz que, ao entrar no ônibus, a primeira coisa que faz é colocar o cinto.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-ABORDAGENS-PRF-02-LP.mp3

Os estudantes Mariana Serafim Ceccon e Lucas Pires também não esquecem do cinto.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-ABORDAGENS-PRF-03-LP.mp3

Das 14h30 às 16h30 a ação da PRF se concentra na Unidade Operacional da PRF, que fica na BR-277, km 59, logo após a praça de pedágio, em São José dos Pinhais. Por lá a orientação vai ser para os pais, sobre a importância do uso da cadeirinha.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-ABORDAGENS-PRF-04-LP.mp3

Desde janeiro, a PRF flagrou 2.025 pais ou responsáveis transportando crianças sem cadeirinha no Paraná. Em 2016, haviam sido emitidas 1.301 autuações desse tipo.

Classificada como gravíssima pelo Código de Trânsito, a infração custa R$ 293. São sete pontos na carteira de habilitação. E o veículo é retido até a regularizaçã…

Click here to view full post

6 provocações que todo empreendedor de Fintech deveria se fazer

Sandoval Martins, CEO do Buscapé Company, e Sylvio de Barros, fundador da Webmotors, participaram da última mentoria coletiva do programa Scale-Up Fintech. Confira as ideias que eles compartilharam sobre estratégia e investimento no contexto de negócios digitais.

Boas mentorias são aquelas que esclarecem o caminho e apresentam as soluções para as dúvidas mais inquietantes dos empreendedores. Mas as mentorias extraordinárias são aquelas que te provocam a pensar o não pensado — e muitas vezes te fazem sair com mais perguntas do que respostas. A Mentoria Coletiva que aconteceu no dia 29/11, para a turma do Scale-Up Fintech, se encaixa melhor nessa segunda categoria.

Confira as provocações dos mentores para a turma de empreendedores e aproveite para fazer também as suas reflexões.

Quem são os players estabelecidos na borda do que você faz?

Segundo Sylvio de Barros, as startups surgem na borda das empresas consolidadas. O iCarros, por exemplo, um site de compra e venda de carros, foi criado na borda de três cadeias distintas. Ele é, ao mesmo tempo, um negócio financeiro, de mídia e automotivo. Não está no centro de nada, mas permeia as fronteiras desses três segmentos. É nesse espaço, na lacuna que poucos estão ocupando, que existe a melhor relação de esforço versus resultado.

Mais importante do que entender se você é uma Fintech ou não, identifique quais mercados e cadeias de valor você está tangenciando. A partir desse mapa, entenda como você se posiciona diante desses outros players e qual é a proposta de valor que tem força suficiente para  diferenciá-lo nesse mercado.

Você precisa mesmo de investimento ou essa é apenas uma ansiedade por reconhecimento do mercado?

Uma Fintech de alto potencial não tem problemas para receber um investimento, já que existe uma série de players interessados em apostar em um negócio desse segmento, como comentam os mentores. O grande desafio, segundo Sylvio, é o empreendedo…

Click here to view full post

Paraná teve 62 mil motoristas flagrados com farol desligado nas rodovias em 2017

Paraná teve 62 mil motoristas flagrados com farol desligado nas rodovias em 2017

Foto: José Cruz/Agência Brasil.

Desde julho de 2016 é obrigatório: quem pega a estrada em rodovias estaduais, federais ou distritais em todo o país tem que manter os faróis baixos acesos mesmo durante o dia.

Nesses dezoito meses, um milhão e 295 mil motoristas foram flagrados com os faróis apagados em todo o território nacional.

No Paraná, as infrações cometidas entre janeiro e dezembro de 2017 foram quase 62 mil.

Os dados são da Polícia Rodoviária Federal, que avalia que o principal motivo para o descumprimento da regra é o simples esquecimento, quem explica é a integrante do Núcleo do Comunicação da PFR, Andressa Mariotto.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-Farol-baixo-01-CS-1.mp3

A quantidade de motoristas que circularam pelas rodovias de faróis apagados vem mesmo diminuindo mês a mês no país. O número caiu de mais de 100 mil deles em janeiro para 38 mil agora em dezembro.

Para não ficar dúvida, a luz a ser acionada durante o dia é aquela mesma que você liga durante a noite.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-Farol-baixo-02-CS-1.mp3

Outro motivo de dúvida entre os motoristas foram as suspensões da regra para trechos urbanos das estradas, caso da Linha Verde e dos contornos Norte, Sul e Leste. Andressa Mariotto esclarece o que vale nesses trechos.

https://cbncuritiba.com/wp-content/uploads/2017/12/SONORA-Farol-baixo-03-CS-1.mp3

Conforme destacado pela agente da Polícia Rodoviária Federal, a obrigatoriedade do uso da luz baixo durante o dia é uma medida de segurança, para facilitar a visualização por parte de outros motoristas, pedestres e ciclistas. Por isso, a recomendação é para que o motorista adote a prática em todos os trechos, até mesmo no dia a dia, no trânsito da cidade.

Repórter Cristina Seciuk

Click here to view full post