Da loja no shopping aos maiores marketplaces do país: como o Olist se reinventou 4 vezes sem perder o propósito de vista

Da loja no shopping aos maiores marketplaces do país: como o Olist se reinventou 4 vezes sem perder o propósito de vista

Tiago Dalvi sempre foi um empreendedor resiliente. E hoje, à frente do Olist, tem usado tudo o que aprendeu empreendendo outros negócios para transformar a vida de PMEs ao redor do Brasil.

Steve Jobs tinha razão. Ninguém consegue conectar os pontos olhando para frente. Somente quando tudo já aconteceu e nós temos a visão privilegiada do futuro é que entendemos como as situações se conectaram — e nos trouxeram até onde estamos hoje. Uma ideia que surgiu na faculdade, um contrato fechado que abre caminho para novos ou mesmo um negócio que fecha para outro nascer. Nunca se sabe. O que você está vivendo agora pode prepará-lo para o que ainda está por vir. E a história de Tiago Dalvi é um ótimo exemplo disso.

Tiago nasceu com o DNA empreendedor. Filho e neto de empreendedores, o fruto não caiu longe do pé. Mas foi só na faculdade de administração, em Curitiba, depois de trabalhar na empresa júnior, que ele encontrou suas maiores inspirações. Em vez de grandes empreendedores da época, donos de companhias gigantes e milionárias, quem realmente inspirava Tiago eram os seus amigos. Colegas de sala da sua idade que recusavam propostas de multinacionais para abrir o seu próprio negócio — seja ele uma loja de roupas ou uma organização social.

Tiago começou, naquela época, a trabalhar na Aliança Empreendedora. Lá ele conheceu de perto os desafios dos artesãos brasileiros, pessoas que sabiam como criar peças de design extraordinárias, precificar… Mas não sabiam vender. Enquanto isso, ele começou a bater em algumas portas em Curitiba e percebeu que existia demanda por esses produtos. Faltava alguém para unir esses dois mundos.

Em 2007, Tiago Dalvi abriu sua primeira loja de produtos feitos à mão em um shopping curitibano: a Solidarium. O sonho era grande — criar a maior rede de lojas de artesanato do Brasil –, mas logo em seguida a realidade bateu à porta.

Para Tiago, esse foi o maior investimento em educação que ele…

Click here to view full post

Quando se trata de inovação, o maior risco é um só: não buscá-la

Quando se trata de inovação, o maior risco é um só: não buscá-la

Na CPFL, entendemos que a inovação deve permear a cultura de toda a empresa. Por isso, tomamos uma série de decisões estratégicas, como a criação do Programa CPFL Inova.

Para grandes empresas, investir em inovação pode constituir-se um grande desafio. Refiro-me às organizações com estruturas complexas e processos estabelecidos: é normal que o espaço para ideias inovadoras acabe sendo suprimido. E caso a empresa já exista há muito tempo, tocando as suas operações da mesma forma e, ainda assim, obtendo bons resultados, é compreensível que os gestores considerem a inovação como um risco.

No entanto, a meu ver, o risco maior é exatamente não agir, é não abrir espaço para a inovação. Porque as empresas menores e mais jovens, com modelos de negócio eficientes e ágeis, fatalmente criarão soluções relevantes e de valor para o mercado, graças às suas estruturas menos burocráticas ou complexas.

Por isso entendo que as corporações já estabelecidas precisam ter estratégias de atuação muito robustas e uma capacidade de inovar de forma a continuarem relevantes em seus mercados.
Só assim uma empresa será sustentável no médio e longo prazos. Quero compartilhar, neste espaço, um pouco de experiência da CPFL Energia para mostrar como temos atuado nesse sentido.

Saindo da zona de conforto

O grande desafio é dar o primeiro passo — e isso envolve a transformação da cultura organizacional. Alinhar a visão estratégica da empresa a ações práticas de inovação é fundamental. As iniciativas não podem ser pontuais e desconexas.

A inovação, sob a ótica financeira, deve ser vista de outra forma: como líder, você precisa deixar de encarar o tema como “mais uma despesa” para percebê-lo como investimento em uma visão estratégica de longo prazo. Para isso, não há outro caminho: é preciso haver direcionamento constante de recursos para fomentar a inovação.

O board da companhia tem um papel relevante neste processo. A inovação deve ser p…

Click here to view full post

Para descobrir novas perspectivas: os 10 textos mais lidos de 2017

Para descobrir novas perspectivas: os 10 textos mais lidos de 2017

Os melhores artigos de 2017 são como prismas: textos que o ajudam a enxergar sua própria história por uma nova perspectiva.

Dizem que os melhores textos são como prismas, mais do que espelhos. Enquanto os textos-espelho o fazem enxergar a si mesmo na história contada pelo outro, o texto-prima vai além. Você se vê refletido nas histórias, desafios e relatos de mentores e empreendedores, mas ao mesmo tempo passa a enxergar tudo o que está vivendo por uma nova perspectiva. Assim, é mais fácil encontrar alternativas nunca antes pensadas e soluções que antes se escondiam em um ponto cego da própria mente.

Em 2017, os textos mais lidos no Portal da Endeavor tinham esse objetivo. Partindo da visão única de um empreendedor para falar de desafios universais, inerentes a todos que decidiram empreender. Indo do desafio à superação, do problema à ferramenta, da experiência ao aprendizado.

Aproveite para reler esses textos, refletir sobre a sua própria jornada e voltar em 2018 com um novo jeito de enxergar o mundo ao seu redor.

#1 | Jorge Paulo Lemann: “Nosso negócio não é cerveja, nem hambúrguer ou ketchup, é gente”

Lido por 55,540 pessoas
Em 2017 tivemos a oportunidade de ouvir algumas lições valiosas de Jorge Paulo Lemann sobre cultura de alta performance e gestão de pessoas.

Leia em 4 minutos ou Ouça em 2 minutos →

#2 | 5 filmes sobre empreendedores reais que você precisa assistir

Lido por 52,249 pessoas
Essa é uma lista de pura inspiração com histórias reais de empreendedores transformadas em filme.

Leia em 7 minutos ou Ouça em 4 minutos →

#3 | Trabalhar duro não é o mesmo que trabalhar de forma inteligente

Lido por 52.056 pessoas
Segundo Steve Blank, o número de horas trabalhadas não indica o grau de produtividade do seu time — e nem o seu. Ele explica o porquê e traz dicas para não cair nessa.

Leia em 8 minutos ou Ouça em 5 minutos →

#4 | Reforma Trabalhista: tudo o que os empreendedores precisam saber

Lid…

Click here to view full post

eBook | 5 Livros para Empreendedores de Alto Crescimento: as recomendações dos mentores Endeavor

eBook | 5 Livros para Empreendedores de Alto Crescimento: as recomendações dos mentores Endeavor

Que esses livros te inspirem a passar 2018 vivendo cada dia como se fosse o dia 1!

Mesmo que os anos passem, você precisa manter a mesma energia e o mesmo dinamismo daquele dia, quando abriu as portas pela primeira vez e atendeu o cliente número um. Precisa ter dentro de si a mesma ousadia de quando o futuro era uma página em branco, e tudo o que você queria era transformar aquelas inquietações em um negócio de impacto.

É natural. O calendário sempre vai insistir em virar as folhas e empurrá-lo para viver o dia 2. Parece inevitável. Quanto mais o tempo passa, maior sua empresa fica, mais demoradas são as decisões, mais engessados os processos e mais distante fica qualquer forma de disrupção. Por isso, é tão importante para o empreendedor parar em determinada parte do caminho para recuperar o fôlego. Encher os pulmões de ânimo, vontade e coragem. Para quando tiver que mergulhar novamente na rotina e operação do seu negócio, você tenha dentro de si inspiração suficiente para mais um ano inteiro.

Para te ajudar a se manter sempre no dia 1, fizemos uma seleção especial dos livros mais recomendados pelos mentores Endeavor.

São publicações clássicas – algumas sem edição em português – que apresentam os caminhos de crescimento para empresas e empreendedores, da estratégia de expansão à transformação pessoal para acompanhar a velocidade com que tudo acontece.

Cada livro vai te ajudar a:

  • Construir um negócio disruptivo que crie algo inédito no mundo;
  • Aprender a lidar com situações difíceis e crises do seu negócio;
  • Preparar sua empresa e seu time para crescer;
  • Criar uma estratégia de escala e replicabilidade;
  • Lidar com as dores do crescimento acelerado.
  • A cada capítulo, você vai ler um resumo que traduz os conceitos-chave dos livros para a linguagem de quem empreende usando diagramas, esquemas e checklists que facilitem a absorção das ideias. E no final, também encontra uma ferramenta para transformar essas in…

    Click here to view full post

    eBook | Estratégia de Crescimento: no que focar em cada fase do seu negócio?

    eBook | Estratégia de Crescimento: no que focar em cada fase do seu negócio?

    O mercado está correndo em uma nova velocidade. As empresas crescem mais rápido, as startups desconstroem mercados inteiros e uma nova lógica de mercado se forma. Como planejar o crescimento da sua empresa e um cenário como esse?

    Nada de grandioso teria sido construído no mundo se as pessoas não estivessem reunidas em grandes grupos, com um mesmo propósito. Ele é a cola que nos une como grupo, família, empresa ou nação. Foi assim que construímos as pirâmides, povoamos o planeta inteiro — e sonhamos inclusive em povoar outros.

    Com as empresas, o crescimento também é assim. Um negócio de três fundadores passa a ter 15 pessoas, ganha escala e velocidade e, poucos anos depois, já impacta milhares de pessoas, entre funcionários, clientes e parceiros. Esse modelo de crescimento acelerado é chamado por Reid Hoffman, fundador do LinkedIn, de Blitzscaling.

    Ele divide o desenvolvimento dos negócios em diferentes fases, cada uma com seus desafios e marcos a serem alcançados. Assim, as empresas passam pelos estágios de:

    Famílias: Quando a empresa inteira cabe em uma sala;

    Tribos: Foco na execução para escalar o que você já faz muito bem;

    Vilas: Hora de criar um plano de crescimento, contratar rápido e não olhar para trás;

    Cidades: Desafio de ganhar eficiência sem perder a velocidade;

    Nações: a estratégia é global e escalar a cultura é o maior desafio.

    Se foram necessários séculos para que famílias da Mesopotâmia criassem algo similar a uma nação, hoje os empreendedores constroem empresas de impacto global em menos de 10 anos. Essas são as chamadas Scale-Ups: negócios marcados pela alta velocidade.

    Então o que é preciso para o empreendedor formar uma empresa com o mesmo impacto e tamanho de uma Scale-Up?

    Inspirada pela primeira edição do Scale-Up Summit, a Endeavor criou um eBook que reúne os aprendizados das empresas que estão vivenciando na pele os desafios de crescer em alta velocidade: do estágio de famílias …

    Click here to view full post